top of page

Vitória a Vila Velha

No dicionário, Vitória, um substantivo feminino, é Ação ou efeito de vencer, de derrotar o inimigo, de sair triunfante numa briga ou numa competição.” no atlas, ao observar as capitais de estados brasileiros, Vitória é a capital do estado do Espírito Santo e sua etimologia, derivada de Ilha de Vitória, foi justamente pela vitória que os portugueses tiveram contra os índios Goitacazes no início da década de 1550.


Fonte: Desbravando capitais

Em 1534, apenas trinta e quatro anos do Brasil ter sido (re)descoberto pelos portugueses, D. João III, rei de Portugal, dividiu as terras brasileiras em capitanias hereditárias com o objetivo da exploração econômica dos locais.


Uma das capitanias recebeu o nome, que possui raízes religiosas, de Espírito Santo, concedido a Vasco Fernandes Coutinho que batizou a capitania com este nome em homenagem à terceira pessoa da Santíssima Trindade, pois era Oitava de Pentecostes (também conhecido como Oitava de Páscoa) – extensão da celebração religiosa que ocorre oito dias após o Pentecostes (festa cristã que celebra a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo e seus seguidores) tempo muito importante de reflexão e oração aos partidários religiosos cristãos.


No ano de 1535, alguns registros indicam que Vasco Coutinho chegou ao solo Espírito-Santense a bordo da caravela Glória no dia 23 de maio. Ele fundou a sede da capitania com o nome de Vila do Espírito Santo e o primeiro povoamento da região na Prainha.

Atualmente, a região é conhecida como Vila Velha e possui diversas construções históricas e símbolos religiosos importantes para o estado.


A igreja do Rosário, por exemplo, teve o início da sua construção no mesmo ano. O Convento da Penha do século XVI também é um importante símbolo religioso da região. Na época, construções religiosas eram erguidas como uma estratégia comum para consolidar domínio sobre o território.



Vasco Coutinho dividiu a capitania em sesmariassistema português com o objetivo de cultivar terras virgens – e compartilhou com os sessenta colonizadores que chegaram ali com ele.


O objetivo era de colonizar a terra e fomentar a produtividade e agricultura, porém por Vila Velha ser de fácil acesso, muitos índios que já viviam no local atacavam a região e em 1549, os portugueses incomodados com a sua segurança, liderados por Vasco Coutinho, decidiram buscar um território mais seguro.


Foi quando ele encontrou uma ilha montanhosa e iniciou um novo núcleo de povoamento, que recebeu o nome de Vila Nova do Espírito Santo, ao contrário do primeiro que passou a ser Vila Velha.


“As lutas contra os índios continuaram até que no dia 8 de setembro de 1551, os portugueses obtiveram uma grande vitória e, para marcar o fato, a localidade passou a se chamar Vila da Vitória e a data como a de fundação da cidade.”

Segundo o site morro do moreno (aliás, aqui vai uma dica que é necessário a quem for para lá: conheça o Morro do Moreno!).


Formação Administrativa de Vitória a Vila Velha


Vitória é composta pela parte continental e por trinta e três ilhas interligadas. A capital capixaba passou por diversas etapas até chegar ao que conhecemos hoje. Em 1545, o território de Vitória entrou na categoria de Vila e, pelo Decreto de 24-02-1823, foi elevado à cidade. Entre junções e desmembramentos de distritos, alguns deles deram origem ao município de Serra (pertencente à grande Vitória).


Já Vila Velha foi vila (Lei Estadual n.º 212, de 30-11-1896), distrito, extinto (Decreto Estadual n.º 1.102, de 27-04-1931) e anexado a Vitória. Depois retornou à condição de distrito (1933), se separou da capital capixaba e recebeu o nome de Espírito Santo (Decreto n.º 5.041, de 11-07-1934).


Foi extinto novamente (decreto-lei Estadual n.º 15.177, de 31-12-1943) rebaixando sua condição para distrito e recebendo o nome de Espírito Santo de Vitória e adquiriu os distritos Argolas e Jucu – que já pertenciam ao munícipio do Espírito Santo. Através da Lei nº 479, de 29 de janeiro de 1959, o município Espírito Santo passou a se chamar Vila Velha.

Vitória a Vila Velha - Fonte: Desbravando capitais

Dias atuais


Vila Velha é uma cidade muito importante para o estado do Espírito Santo. Segundo o IBGE, estima-se que a cidade tenha mais de 508 mil habitantes, mantendo-se como a cidade mais populosa do estado. Em 2020, sua economia foi a 21ª do estado capixaba com PIB de R$25.115,27. A cidade possui grandes monumentos históricos importantes não só para o estado como também para contar a história do Brasil, pois está entre as primeiras terras descobertas do país.


Vitória, por sua vez, é uma região muito montanhosa e possui diversos morros dentro de si. Segundo o IBGE, em 2020, estima-se que tenha um pouco mais de 369 mil habitantes. Com ênfase da sua economia no setor terciário, em 2020 possuía um PIB de R$69.628,40 representando a quarta posição no estado (ficando atrás dos municípios Presidente Kennedy, Itapemirim e Marataízes com PIB de R$301.474,89, R$93.609,55 e R$93.156,70 respectivamente).


Ainda segundo o IBGE, em 2023 o PIB do estado Espírito Santo foi o décimo quarto do país representando 1,8% (R$138.445.922,00).


A capital capixaba, composta por uma parte continental e 33 ilhas, está localizada nas margens do oceano atlântico. Possui a ponte Deputado Darcy Castello de Mendonça – que é popularmente conhecida como a Terceira Ponte – a quinta maior em extensão (3,3 km) do Brasil e liga Vitória a Vila Velha.


Terceira ponte - Fonte: Desbravando capitais

Segundo o portal UOL, em 2017 setenta mil veículos transitavam nela por dia. A capital também tem um dos portos mais importantes do Brasil – em 2021, segundo relato do site A Gazeta, pelo porto passou 40% da economia capixaba e foi responsável por aproximadamente 25% do comércio exterior do Brasil.


A cidade é demarcada por morros, mar e cidades, que juntas compõem a Grande Vitória. São seis municípios (Cariacica, Fundão, Guarapari, Serra, Viana, Vila Velha).


“Quase 50% dos quatro milhões de habitantes do Estado estão na Grande Vitória, numa área que representa apenas 5% do território capixaba”, segundo o governo do Espírito Santo.

A produção de café é muito forte em todo o estado, e em conversa com um morador o Desbravando Capitais foi indicado a experimentar o melhor da região: o café produzido nas montanhas 100% arábico.


Apesar do Espírito Santo não ser um estado (muito) divulgado nas mídias tradicionais, alguns moradores alegaram que é devido à política, pois em Vitória facilmente se encontra produtos de produção local. As gôndolas dos supermercados têm várias opções de café com selos capixabas.


Ao ouvir o programa da rádio CBN de Vitória, encontrar site que relata histórias capixabas (Morro do Moreno), banda de música que expressa sobre o regionalismo (exemplo é a banda Casaca), uma conta no Instagram sobre curiosidades do estado, influencer promovendo o que acontece na região, não se pode negar que há uma busca da valorização da cultura regional.


Durante a estadia do Desbravando Capitais em Vitória acompanhamos o Instagram de uma influencer que participou de uma reunião de estado buscando iniciativas para divulgação mais abrangente no turismo, o que traz a percepção de que estão pensando e buscando melhorias no estado para receber o turismo.


Turismo


De acordo com a pesquisa “Entre Estações” disponibilizada no site Observatório Do Turismo em 2017, muitos turistas que visitam o estado do Espírito Santo são residentes dos estados da região sudeste do Brasil, sendo Espírito Santo (64,74%), Minas Gerais (19,45%), Rio de Janeiro (6,65%) e São Paulo (3,64%) respectivamente. O principal motivo da viagem é lazer/passeio (57,2%), visita aos amigos e familiares (20,2%) e trabalho/negócios (16%).


As praias são o maior atrativo (50%), seguido pelo contato com a natureza (16,9%) e visita aos locais e festas de riqueza histórico-cultural (14,5%).




Quando o motivo é negócios, a principal atividade foi comprar ou vender bens. Ao observar o dado da fonte de informação que foi utilizada para a escolha do destino percebe-se que são turistas retornando ao local já conhecido (74%) e só então o segundo lugar da pesquisa aparece, que é a indicação de amigos/parentes (15,6%).


As cidades que mais receberam pernoites foram: Guarapari (31%) e Vila Velha (30%), conforme o governo do Espírito Santo que também alega que:


“De acordo com o Boletim da Economia do Turismo relativo ao terceiro trimestre de 2021 as atividades turísticas no Espírito Santo registraram uma variação positiva de 19,3%, um crescimento de 55,7% em comparação ao mesmo período do ano anterior. No Espírito Santo, 7,6% da economia é gerada pelo setor de turismo.”.

Na minha opinião, as montanhas presentes em Vitória e no interior do estado são um dos grandes diferenciais das paisagens naturais brasileiras e conferem um charme único ao estado do Espírito Santo.


Texto escrito por Fabiana Mercado

Pós graduada em Comunicação e Marketing Digital, formada em Publicidade e Propaganda, acumula mais de 9 anos na área, colunista do Zero Águia, curiosa, preza o respeito a todas as pessoas independente de características. Nas horas vagas pratica corridas com o apoio da equipe Superatis. Adora conhecer novas pessoas e lugares, ama viajar e possui um projeto denominado Desbravando Capitais com o marido para morar e vivenciar durante um mês em todas as capitais brasileiras nos próximos anos.



Revisão por: Eliezer Fernandes

Edição por: Felipe Bonsanto

 

Fontes
































Opmerkingen


bottom of page