top of page

Terror Espacial e Reflexões Sociais: Alien, o Oitavo Passageiro (1979)

No vasto cenário do cinema, poucas obras conseguem ecoar nas mentes dos espectadores décadas após o seu lançamento. "Alien, o Oitavo Passageiro" é um exemplo notável desse poder, trazendo um misto de horror, suspense e reflexões sociais que ressoam até os dias de hoje.


No vasto cenário do cinema, poucas obras conseguem ecoar nas mentes dos espectadores décadas após o seu lançamento. "Alien, o Oitavo Passageiro" é um exemplo notável desse poder, trazendo um misto de horror, suspense e reflexões sociais que ressoam até os dias de hoje.

O filme, dirigido por Ridley Scott e lançado em 1979, não se limita a ser apenas uma experiência cinematográfica, mas sim uma jornada que evoca medos humanos profundos e levanta questionamentos sobre a exploração espacial e as complexas relações de trabalho.

No núcleo do filme está uma criatura que personifica os medos mais profundos da humanidade. A ameaça desconhecida, sem origem clara, é ocultada habilmente e revelada aos poucos, mergulhando a audiência em um estado de suspense contínuo. O elemento surpresa é habilmente utilizado para instigar nossos instintos mais primários de medo.

História do filme


A narrativa se desenrola em um cenário peculiar: um cargueiro estelar que reboca uma refinaria interplanetária. Esse contexto serve como alegoria para as complexas dinâmicas do capitalismo e da exploração espacial, além de pano de fundo para uma análise mais profunda das relações de trabalho.


A década turbulenta em que o filme foi lançado, marcada pela escassez de combustíveis, os efeitos do escândalo Watergate e greves operárias, proporcionou o terreno perfeito para as inquietações expostas no roteiro. Funcionários descontentes lutam contra uma empresa cruel que os vê como peças descartáveis em sua busca pelo lucro.

Yuval Noah Harari, autor de "21 Lições para o Século 21", explora o impacto das inovações tecnológicas e a transformação das relações de trabalho. Aqui, a exploração espacial é apresentada como uma extensão desse cenário, onde os tripulantes arriscam suas vidas motivados pela busca de salários vinculados à conclusão da missão. No cenário contemporâneo, as inovações tecnológicas têm sido protagonistas de mudanças significativas nas dinâmicas das relações de trabalho. Harari oferece uma lente analítica valiosa para entendermos como esses dois elementos se entrelaçam e desafiam a nossa compreensão sobre o futuro do trabalho.

A acelerada evolução das tecnologias, como a inteligência artificial, automação e aprendizado de máquina, são forças que estão redefinindo a natureza do trabalho humano. A automação, por exemplo, tem o potencial de substituir uma ampla gama de tarefas repetitivas e padronizadas, levando a um questionamento sobre o valor que o ser humano agrega em um cenário onde máquinas podem ser mais eficientes.

As relações de trabalho, por sua vez, têm sido profundamente afetadas por essa revolução tecnológica. A fragmentação do trabalho, impulsionada por plataformas digitais, traz consigo desafios como a falta de segurança social e a desvalorização de benefícios tradicionais. A interseção entre inovações tecnológicas e relações de trabalho também coloca em pauta questões éticas. A inteligência artificial, por exemplo, pode trazer melhorias substanciais para diversos setores, mas também levanta questionamentos sobre privacidade, discriminação algorítmica e a concentração de poder nas mãos de poucas empresas.

Por fim, "Alien, o Oitavo Passageiro" transcende o status de mero entretenimento. Sua narrativa obscura lança luz sobre as complexidades da natureza humana, as engrenagens do capitalismo e as implicações da exploração espacial. Enquanto os personagens lutam para sobreviver, nós, espectadores, somos convidados a questionar nossas próprias jornadas e as fronteiras entre o conhecido e o desconhecido em nossa própria existência. Aliando a discussão proposta por Harari, temos um convite à reflexão sobre como as inovações tecnológicas estão reconfigurando as relações de trabalho e, consequentemente, nosso modo de vida. À medida que avançamos nesse novo contexto, é necessário considerar não apenas o potencial das tecnologias, mas também as implicações éticas, sociais e econômicas que elas carregam.

Detalhes do filme


Filme: Alien: O 8º Passageiro (Alien)

Elenco: Sigourney Weaver (Ripley), Tom Skerritt (Dallas), John Hurt (Kane), Veronica Cartwright (Lambert), Harry Dean Stanton (Brett), Ian Holm (Ash), Yaphet Kotto (Parker)

Direção: Ridley Scott

Avaliação Rotten Tomatoes: https://www.rottentomatoes.com/m/alien



Texto escrito por Gustavo Longo

Atuante na área da tecnologia há vinte anos, conciliador, curioso, disposto e apaixonado em sempre ajudar as pessoas, além de crente no poder transformador da Educação. Nas horas vagas, busca aprender sobre mercado de ações e em descobrir curiosidades do mundo do cinema através do canal Youtube Faro Frame. Acaba de iniciar um projeto pessoal com sua esposa para viajar e "viver" como um cidadão local em cada capital brasileira por 30 dias nos próximos anos.



Revisão: Eliane Gomes

Edição: Eliézer Fernandes

 

Referências


Livros


Título: 21 lições para o século 21

Autor: Yuval Noah Harari

Editora: Companhia das Letras

ISBN: 978-85-359-3091-7

Título: O guia geek de cinema

Autor: Ryan Lambie

Editora: Seoman

ISBN: 978-85-5503-097-0

Outras fontes



Comments


bottom of page